Sem categoria

Superman Returns

Essa semana eu estava assistindo o Superman Returns e descobri uma coisa trágica: eu sou fã do cara.

Como alguém já me falou uma vez, eu não sou normal. É o segundo post sobre super-heróis e ainda tenho um aqui guardado sobre o motivo pelo qual todos deveríamos nos inspirar em Star Wars – mais precisamente no Jabba, the Hutt. Então, pra confirmar que realmente eu não sou normal, vamos lá.

A gente começa a assistir o filme. A criatura ao lado começa a pedir explicações sobre algumas cenas, ou sobre determinados personagens e – estranhamente – eu sabia as respostas e de quebra ainda “adivinhei” de quem é aquela voz que faz o Jor-El. Daí me lembrei daquela camiseta de quando ainda era adolescente, do combo que comprei com todos os filmes dele e das dolorosas semanas esperando a entrega pq, óbvio, foi comprado na pré-venda do Submarino.

Então a pior parte: me lembro que chorei quando o Christopher Reeve morreu. Pior que ainda não tinha superado o baque do acidente dele! Logo em seguida mais uma constatação chocante. Estou ficando velha… Não velha, velha, mas digamos que preciso de updates mais constantes. Não estou mais tão atualizada assim.

Vamos aos fatos:

Primeiro eu gostava pq ele voava. E nunca mentia como a maioria dos adultos que eu conhecia.
Depois passei a achar interessante a capacidade de se transformar. Ser – de “verdade” – duas pessoas diferentes merece o meu respeito! Ou três se contar que ele ainda é uma pessoa diferente com quem conhece seu segredo. Se Krypton ainda existisse nós poderíamos contar uma quarta pessoa?

Daí foram duas fases quase ao mesmo tempo. Eu gostava do fato dele ser invencível. Nada pode machucá-lo, ninguém pode detê-lo. Deve ser o máximo ser intocável assim né? E a segunda fase dessa época? Hum… Bem… Dez entre dez mulheres acham o cara o máximo! E olha que ninguém da falando desse último Superman não (sério que vc não sabe que esse último é G-size?? 😯), mas do ícone. O cara usa cueca pra fora da roupa e ainda assim é atraente! Putz!

Tudo isso me trouxe a essa fase agora. Depois das outras, mais parece o ocaso de um fã, mas eu realmente queria que ele existisse. O cara salva o mundo, escreve no jornal, voa pelo universo procurando por um planeta que não existe e ainda chega em casa a tempo de contar uma historinha para o filho.

E chocada a pior descoberta!!! Acabei de descobrir que ele existe sim!

E acabou de chegar da faculdade.

bjinhos e boa noite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *