Sem categoria

Proud to be me

Mulher LendoOntem recebi esse vídeo no meu e-mail e vi que não poderia mais deixar esse post em rascunhos. É um post meio confuso, então, se não quiser se confundir mais ainda, pule para o próximo, esse assunto não está totalmente resolvido na minha cabeça, então já sabe… Profusão de pensamentos aleatórios…

First things first: meu peso é na casa dos 3 dígitos e também não vou negar que isso não me deprime. Na verdade já foi pior e durante esse período de depressão profunda por causa disso, vi que fazia tudo errado ou seja, comia mais, me exercitava menos. Por sorte existem pessoas legais sempre cruzando o meu caminho e percebi que o problema pior é a abordagem. Eu não estava mal por estar gorda, estava mal por estar feia e mal-arrumada e isso tem conserto.

Daí que ao colocar as coisas em perspectiva vi que se existisse um “felizômetro” o meu estaria bombando. Tenho casa, carro, comida na mesa e não devo nada pra ninguém. Tenho 3 filhos lindos, saudáveis e levados que não me deixam sossegada e em silêncio por nenhum minuto do dia. Casei com o homem que escolhi, que eu amo a maior parte do tempo e não pretendemos nos largar tão cedo. Apesar de achar que a felicidade é supervalorizada, esse é meu estado atual. Os problemas são transitórios e cíclicos, temos que lidar com eles.

E ao ver as coisas desse modo estou tranquila em dizer: não gosto de ser gorda. #prontofalei

Não é algo do tipo: preciso ser saudável esse é meu objetivo. Não é, já que saudável eu sou, aliás, nunca estive melhor. É questão estética mesmo, e daí? Pra quem me falar que nunca ficou mal porque aquela roupa não serviu ou não tinha seu tamanho na loja eu digo M-E-N-T-I-R-A! Agora eu achei uma loja bacana, com roupas que ficam legais em mim, mas quer saber? Quero usar jeans 42, 44. Nem é pequeno para os padrões atuais, mas é neles que me sinto bem. Quero correr com os meninos sem me cansar e mais outras coisas que não cabe dizer aqui, só que a maioria delas e puramente estética.

Sou uma mulher adulta, em dieta, feliz no momento e serei mais feliz com meu peso depois que emagrecer. O que isso tem de errado? Nada! Auto-tutela, oi? As celulites, estrias estarão aqui contando a história de cada gravidez, de cada doce, de cada vez que preferi dormir a me exercitar. Vergonha já tive, não tenho mais e sinceramente uma coisa nada tem a ver com a outra.

Enfim, não vou explicar. Não voltarei a ter o mesmo corpo que tinha aos 22 anos, mas cansei de ser mulher de Botero

Imagem daqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *