Sem categoria

Adeus, bebês…

Bruno desmontou o berço e levou para um amigo dele. Logo quando descobrimos a gravidez, ele foi o primeiro móvel que escolhemos e até hoje agüentou bem o tranco… Teve 3 jogos novos, 3 colchões, 3 bebês. Nos últimos tempos ele foi a cabana, o forte, a panela cozinhando pessoas, a sala de reunião…

[update] João Marcelo aprendeu a entrar no berço e acordar Carlos Henrique, que por sua vez fez o mesmo quando Helena dormia ali. E claro eles foram se ensinando a fugir dele, sempre aos sábados, 6 da manhã… ¬¬ [/update]

Clique para aumentar

Não costumo ser apegada com objetos. Não tenho um amor especial por roupas, sapatos, o quarto que decoramos em nossa primeira casa[bb]. Nada disso mereceu de mim mais que um breve lamento ao serem descartados e seguir rumo a próxima etapa, mas esse berço… Não imaginei que sentiria tanto quando ele não estivesse mais aqui e o engraçado que eu estava louca pra me livrar dele.

É normal sofrer assim e sentir como se um pedaço do meu coração tivesse sido arrancado? Porque pra mim, na hora em que o ele era colocado na mala[bb] do carro foi como levassem os meus bebês e eu nunca mais pudesse vê-los novamente. Isso é tão verdade como também é verdade que recebi crianças em troca do berço. Crianças que estão a um passo de perder o dente, que já falam as palavras direitinho, que pedem para eu ler um livro naquela vozinha esganiçada.

Sim, esse berço[bb] vai embalar os sonhos e brincadeiras de outro bebezinho, porque aqui nessa casa eles não existem mais; mas me permitam ficar triste por alguns minutos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *