Sem categoria

A fase adulta

Quando eu era criança, sempre ao encontrar meu pai ele me levava ao trabalho dele. Eu adorava ir para lá porque eu podia ficar sentada na recepção vendo as pessoas que entravam e saiam de umas lojas que tinham ao redor (vamos deletar o cinema que tinha em frente. rs) e todas eram muito jovens, mas eu olhava pra elas e achava que estavam fazendo algo muito importante.

De tarde ele sempre me levava pra lanchar em um café que era em frente a um curso de teatro lá perto. Lá ele me comprava um gibi e falava que eu podia comer qualquer coisa, mas o mais gostoso era uma torta de nozes e todas as vezes ele pedia para colocarem sorvete junto. Eu amava e ainda adoro essa combinação e até hoje quando como isso tenho uma lembrança boa desses dias. Ele sentava na mesa do lado (o trabalho dele era esse mesmo: fazer contatos e eu nunca me senti abandonada, ao contrário do que vocês possam achar) e eu fica observando, comendo e lendo o meu gibi.

Créditos: JeanPierreG

Quando eu comecei a trabalhar, a primeira coisa que eu fiz foi repetir esse programa sozinha, no shopping. Me senti muito adulta (e fina. lol) lendo e tomando refri na livraria, com todas aquelas pessoas em volta, mas aos poucos fui percebendo que essa sensação de “ser adulto” é uma coisa que a gente vai perdendo ao longo do tempo. Talvez porque as coisas que definem um adulto no imaginário infantil passem a acontecer com tanta frequência que nem bem nos acostumamos a um evento, já vem o próximo e não temos tempo de reparar em nós mesmos.

Arrumei empregos e saí deles, casei, comprei casa e carro, tive filho, troquei de médico, tive outros filhos, fiz financiamento de televisão e geladeira; mas nunca mais tinha tido essa sensação. Ser adulta é um fato e não ter tempo para ler enquanto toma café faz parte disso.

Por quê estou falando isso?

Na última semana comprei um domínio, aluguei um lote e migrei para o wordpress. Em um dia eu configurei tudo, com a ajuda do Daniel Becher. Arrumei o tema – falta deixar a minha cara – mas estou feliz…

Me sentindo muito adulta…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *